PS

PS

SEGUIDORES

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Porco Mijão



Meu filho, o mais velho assim como os outros dois, filho e filha, é um homem educado, gentil e culto. Trabalha feito um condenado, mas honra seus compromissos e por onde passa todos elogiam sua esmerada educação e honestidade.

.
                       Meus filhos, Franco, Monica e Fábio

Assim é a maioria do povo Gaúcho. Povo de tradições arraigadas e costumes diferentes do resto do país. Somos diferentes, queremos ser diferentes e não aceitamos certos entreveros, principalmente com gente sem pedigree.

                                    Franco e Liane, sua esposa.

Ele, contou-me que estando em um Bar e Armazém por estrito dever de relação de comércio, viu uma cena revoltante.

Coisa grosseira que foi protagonizada por um forâneo, que veio não sei fazer o quê aqui no Rio Grande do Sul. Um desses chiadores, boca mole, que andam todo se balançando feito joão-bobo, de chinelo de dedo e sem camisa. Tipos asquerosos e bagaceiras, que vivem sugando o país, pois se trata de gente vagabunda, que se dizem malandros, que passam o dia na beira do mar, subindo e descendo morro, que moram em "comunidade", fazendo assado na laje, gente sem pedigree, que achando que estava em algum chiqueiro, após tomar uma cerveja, a qual o imbecil chamou de “cerva”, intentou em urinar na parede do estabelecimento comercial que o havia atendido.

Advertido pelo dono do estabelecimento que não podia urinar naquele lugar, para isto havia sanitários a disposição dos clientes, o porco, imundo, mal educado, bagaceira, sujo e gentalha disse que o Rio Grande do Sul tem muitas “regrinhaschh, poischh no meu eixtado o povo urina em qualquerrrr lugarrrr”, merrrmo.

Ai meu filho foi obrigado a intervir e dizer:

                          Meus filhos Franco e Fábio.

- Ô bobalhão! No teu Estado tu podes fazer até outras coisas, porém aqui no Rio Grande do Sul o povo é educado, civilizado e não chia. Porco, imundo! Aliás, o povo Gaúcho é muitíssimo mais educado. Portanto tipos como tu deveriam ser corridos de nosso Estado, mas antes dar-lhe um corretivo na base do simbronaço com o “três listras”.

O bobalhão que estava acompanhado de uma, também vagabunda de fora do estado, que o apoiava, saiu todo apertado e foi embora se balançando, arrastando os chinelos feito um retardado, pois se ficasse talvez levasse além de bexiga cheia, um olho roxo. Ou fosse todo mijado de tanto apanhar
.
Obviamente nesse estado de procedência desses indivíduos que tanto denigrem sua imagem, há pessoas cultas, boas e educadas, porém o que mais se vê na televisão é este tipo nojento, asqueroso e mal educado. E são os que mais dão o que falar, principalmente pela criminalidade.

Sabendo disto, lembrei-me mais uma vez de uma máxima do Conde de Gobineau, esse francês nascido na Ville-d’Avray, em 14 de julho de 1816:

“Mas se, em vez de se reproduzir entre si, a população brasileira estivesse em condições de subdividir ainda mais os elementos daninhos de sua atual constituição, fortalecendo-se através de alianças de mais valor, o movimento de destruição observado em suas fileiras se encerraria, dando lugar a uma ação contrária”.
                                                           Joseph Arthur de Gobineau

Será que Gobineau estava errado?

Obviamente ele não se referia ao Rio Grande do Sul, pois se ele conhecesse o Rio Grande do Sul de certo diria:

                            Clã.- Reunião

- Que povo de honra e educado é esse do extremo sul do Brasil, que são chamados de Gaúchos.

2 comentários:

  1. Realmente, tive o desprazer de cruzar com este sujeito rastaquera. Sei que em todos os estados de nosso país existem pessoas boas e educadas bem como outras tão ignóbeis quanto este infeliz. Fico feliz ao ver que personalidades e ou anônimos, em algum momento, expressam admiração por nossa terra. Amo meu estado e meu povo e admiro aqueles que cultuam nossas "tradições" pois isso proporciona ainda mais que nosso gente sinta orgulho de ser desta terra. No entanto, fico preocupado com certos grupos que aos pouco estão se tornando praticamente fundamentalistas e que, do meio destes, estejam surgindo personalidades com discursos machistas, homofóbicos e racistas, até mesmo em campanhas políticas. Tive a sorte de ser educado por pais cultos e amorosos que me proporcionaram desenvolver esta personalidade que me leva a ser um homem, sim, gentil que acredita na diplomacia e que respeita a todos que mereçam meu respeito. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  2. Olá filho amado.
    Muitas vezes somos assolados pelo imprevisto, por caborteiros,tranposos e maulas que não tendo a nossa cultura pampeana dizem tanta bobagem, o que nos leva muitas vezes a esquecer até da diplomacia e partir muitas vezes por carreteira e peráus tortuosos como foi a nossa Grande Guerra Farroupilha. Porém aqueles que falam do Rio Grande do Sul e principalmente do povo Gaúcho o fazem por despeito, somos diferente e assim queremos ser, e não vamos pagar depósito para nenhum alcaide que venha meter o bedelho em nosso pago e se for preciso vamos comprar camorra e dar uma lição aos estrangeiros que vivem bispando a nossa terra, sejam esses estrangeiros americanos, europeus ou brasileiros. Não importa.
    Paternal abraço.

    ResponderExcluir