PS

PS

SEGUIDORES

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O Bem e o Mal




A humanidade desde seu alvorecer, ou mesmo antes dele, sempre se guiou pela escuridão e pela luz, pelo bem e pelo mal, pelo profano e sagrado. Não havia como pensar de outra forma. E a sociedade assim foi evoluindo em altos e baixos, em tropeços e quedas.

Para justificar o bem e o mal, ambos inerentes da humanidade, já que entre os animais ditos irracionais* não há o arrependimento, eles agem de acordo com suas necessidade de vida ou morte, não importando se vão matar, dilacerar e se alimentar dos despojos.


O homem habilmente foi com o tempo justificando tais maldades, ao ponto de terem inventado que Deus criou o homem para reinar sobre os animais. (palhaçada).

Da mesma forma inventaram que o bem e o mal não podem ser divididos e tem sido as duas forças mais combatidas ao longo da saga humana. Para tal criaram figuras que representassem o bem e o mal. Porém há de se pensar que os conceitos religiosos dizem ser deus, tudo. Ou seja, tanto é o bem como é o mal, já que ele é tudo.



Ao esbarrarem nessa contradição, tanto o Islã como O Cristianismo, cópias mal feitas do Torá, os cinco primeiros livros da bíblia hebraica, que por sua vez também são cópias malfeitas de outros contos já existentes há mais de cem anos como a Epopeia de Gilgamesh, escrita por outro povo, inventaram, então a figura do demônio, assim haveria a quadrilha do mal infiltrada nas hostes de Deus, permitindo que a culpa fosse dada a outra figura mitológica e não a Deus, também mitológico.

E a pergunta que fica em suspenso é, PORQUE DEUS PERMITE?

Não entrando no mérito, pois entornaria todas as justificativas do teístas, começamos a nos questionar sobre tais existências. Uma das justificativas dadas pelos que creem dizem que o mal é para botar o homem sob provação. Neste caso vamos recordar o caso de Jó.


O demônio convenceu a Deus que Jó era bom e o amava, porque tinha riquezas, esposa, filhos, animais, mas que deus deveria por Jó a uma provação. Deus, onisciente, onipresente, onipotente, onitudo, foi na conversa mole do capeta (peraí, deus acreditou no capeta?) e tirou a riqueza de Jó, mas esse continuava a orar e servir a Ele. O diabo não contente disse ao senhor que ele ainda tinha mulher e filhos. Deus então seguindo a voz do mal (que deus bobinho), matou mulher e filhos de Jó, e de quebra ainda mandou uma peste que aniquilou seus animais e para mostrar ao demônio Deus mandou uma porção de doenças, ziquizira, lumbago, pé-de-atleta, espinhela caída, constipação, maleita, garrotilho, remela, sarna, beribéri, caxumba, e da recolhida, unha encravada, bicheira, tosse seca, queimação, azia, soluço, bexiga entre outras, mas Jó continuava a orar a Ele e a Ele servir. E somente após tanta judiaria* Deus se convenceu que Jó realmente o amava.


Precisava ter colocado o infeliz em sofrimento para saber o que ele como deus já saberia? Pô deus, te liga.

Precisava dar tanta dor e lágrimas para somente ai se convencer que Jó o amava? 

Ou seja, uma história besta, pois deus caiu como um pato na conversa do capeta, que as pessoas acreditam. Uma história cruel executada por deus, afinal aí é de se perguntar, quem nesta história serviu de vilão. NÃO! Não precisa nem responder. Pois quaisquer tentativas de respostas estarão dando provas de sandice e ignorância doentia e galopante.



O bem e o mal sofrem revezes. Vejamos. O Papa Bento XVI (Benedictus XVI), nascido Joseph Aloisius* Ratzinger, começou a mudar essa história mal contada do bem e do mal, eliminando o Purgatório das Crianças, o que levou ao desespero os aleluias incautos e insanos.  Ora bolas, se não existe Purgatório das Crianças, será que existirá um purgatório para os adultos? Também não. Nada disto tem sentido. Dizer que os mortos só chegarão à presença de Deus através de Cristo, mas o que me parece esse Cristo não está nem um pouco ligado, pois jamais voltará. Fico com pena de ouvir pessoas dizendo que sua vovozinha ou sua mãezinha que morreu está na presença Santificada de Deus. Não. Pois só se chegaria à presença inefável de Deus após a volta de Cristo. Ou seja, isto é uma grande ilusão e as “tadinhas” amargarão a eternidade sem a presença deste deus, pois Cristo morreu e fim. Não voltará para o desespero dos que acreditam nessas histórias sem nenhum fundamento.



Para mais desespero dos reza-reza, o Papa Francisco afirmou que Adão e Eva jamais existiram. E precisava ser dito pelo Papa, quando qualquer pessoa com um mínimo de escolaridade e decência vê que isto é uma história boba e sem sentido e toscamente imoral, pois o incesto foi permitido.

Porém, essa figura exemplar chamada Francisco, veio com mais uma série bombástica de notícias que rodam o mundo e que deixou muitos religiosos no fundo do poço afirmando a não existência do inferno e a não existência do Demônio e que o Big Bang é verdadeiro e assim surgiu o Universo e que deus não é um mago que anda por aí com uma varinha mágica fazendo as coisas a seu bel prazer.


O mundo católico deve seguir sua mais límpida e verdadeira liderança desde que surgiu o Vaticano, chamada FRANCISCO, o papa maior, simples, humano, que renunciou certas mordomias que não deveriam fazer parte da vida dos que se dizem religiosos, como a riqueza, a opulência e mordomias.

Quanto o resto da Cristandade, ou assimila ou continua empacada, pois as verdades vão surgindo a cada momento, já que a ciência é dinâmica e chegará um momento que teremos respostas para tudo o que explicará o declínio já iniciado das religiões.

Até que um dia ouvi do Sumo Sacerdote, o mais cristalino de todos os Pontífices* essas afirmações verdadeiramente revolucionárias e corretíssimas. Mas os “aleluias” inveterados ficaram furibundo, amaldiçoando o Papa Chico, pois como agora eles vão assustar em seus cultos obscurantista um exército de condutopatas. Cordeirinhos demenciados que acreditam em tudo que os gurus ardilosos, mentirosos, ávidos em riquezas aplicam sem nenhum pudor.



Bem, espero que após essas mudanças radicais que vem para oxigenar a Igreja e os católicos outras e bombásticas revelações sejam feitas. Muitos são os religiosos que dizem que é quase impossível continuar afirmando a existência de um único deus, o que já é um progresso, visto que nosso universo é quase infindável e nós, Terra somos uma titica de mosca rolando pelo espaço, e que segundo novas teorias existirão infinidades de outros Universos, fazendo deste espaço infinito um amontoado de outros Universos que são os Poliversos ou Multiversos.

Não tenho provas, mas tenho a convicção de que um dia algum Papa, a despeito de tudo, e sob a mira dos que desfrutam das benesses religiosas, como riqueza e fama, dirá:

    “PEÇO A TODOS PERDÃO, MAS DEUS NÃO EXISTE”.
         



Irracionais - Hoje debate-se muito sobre a irracionalidade, haverá ou não a irracionalidade. Renomados cientistas afirmam que todos os animais pensam, ou seja, não haveria a irracionalidade. Penso, logo existo, está sendo substituída por existo, logo penso. Não importa se é um homem do alto de toda a sua arrogância ou um reles mosquito. Viram o que é arrogância – “reles mosquito” não pode ser reles mosquito um animal que é o causador de maior número de óbitos em humanos no mundo. Vamos se respeitar.

Judiaria - Vem de Judiar, escarnecer, fazer sofrer, atormentar, maltratar. Judiar significa fazer sofrer como sofreram os judeus, maltratados como foram os judeus, escarnecidos como foram os judeus.

Pontífice - Palavra de origem latina. Pontifex que quer dizer construtor de pontes. A partir do Século XI passou a representar o Papa. Imaginário - Ele constrói a ponte entre a Terra e o Céu.

Aluísius -  Nome de origem latina  Aluísius deu origem ao nome LUÍS (ALSIUS), portanto pela regra deve ser escrito com S no final e não com Z.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

FORA TEMER




Enquanto a direita raivosa, cheia de ódio, ladra como cão raivoso, ataca, omite e deturpa a verdade, coisa já sabida, o povo vai às ruas e muitos que apoiaram o golpe já se deram por conta do enorme erro que cometeram e engrossam as manifestações que se espraiam por todo o Brasil de Sul a Norte, numa das maiores manifestações já ocorridas no país em defesa da DEMOCRACIA e dos direitos dos trabalhadores. E em ensurdecedores gritos de FORA TEMER.


Apesar das mentiras e meias verdade ditas por uma imprensa compromissada com o grande capital especulativo nacional e internacional, o povo, numa onda crescente não dá trégua a um governo usurpador que afastou a Presidenta Dilma, mulher honesta e de princípios para evitar que os bandidos da direita raivosa fossem apontados como os principais beneficiários dos golpes dados não só na Petrobras como em vários outros órgãos da República, dos Estados do dos mais de 5000 municípios.


Vergonhosa foi a presença do golpista Temer na reunião do G-20, enquanto que as manifestações se avolumam  e não só acontecem no Brasil como em várias capitais e grande cidades do mundo.

Veja as fotos abaixo, pois a imprensa brasileira quer esconder do mundo essas manifestações de “FORA TEMER”. 

                         Belo Horizonte
                         Pç. da Sé São Paulo
                           Brasília

Recife

João Pessoa

São Paulo

São Paulo

MASP - São Paulo

Av. Paulista

A luta também é das mulheres.





Av. Borges de Medeiros - Porto Alegre - RS

Esquina Democrática - Porto Alegre - RS

Guerreiras lutando e homenageando a estudante que pode perder
a visão por causa de uma bala de borracha disparada por uma
polícia mal preparada e mal paga.

Termino com esta foto icônica da REPÚBLICA.







terça-feira, 23 de agosto de 2016

DEUS, ONDE ESTAVA?




1945. Fim da Grande Guerra, que levou a humanidade, na verdade a uma insana guerra que duraria de 1914 a 1945, com um interregno de 1918 a 1939. Na verdade não foram duas guerras mundiais e sim uma única guerra que ceifou mais de 100 milhões de vidas.


Os Judeus foram uma das grandes vítimas com as violentas perseguições levadas a cabo pelo governo de Adolf Hitler, porém se muitos pensam que terminada a guerra haveria de terminar a perseguição aos judeus estão muito enganados. 


Conforme o Exército Vermelho ia libertando os judeus dos vários campos de concentração dentro da Polônia, muitos tentavam voltar para suas cidades, porém os poloneses locais que haviam tomado conta de seus imóveis, revoltados iniciaram uma perseguição violenta contra os infelizes que mal haviam saído de um pesadelo e já embarcavam em outro.


          E deus, segundo a bíblia ordenava que matasse em seu nome.

Os judeus foram perseguidos além da guerra em violentos pogroms efetuados em várias partes da Europa que não os queriam, como os ocorridos na Polônia em 1946. O pogrom de Kielce levou a morte 42 judeus deixando mais de 50 feridos. As autoridades, do país ainda destruído pela guerra e ainda desorganizado não conseguiam evitar esses atos de terror e selvageria aonde centenas de milhares de judeus poloneses fugiam desesperados para a Tchecoslováquia e Áustria e destas para várias partes do mundo.


Pogrom é uma palavra eslava que significa estrago, ou causar estragos. Historicamente ficou gravado que pogroms eram os violentos atentados físicos contra o povo judeu que amargou desde tempos imemoriais perseguições em toda a Europa, mas somente o termo pogrom vai surgir com o grande pogrom ocorrido em 1821 na cidade de Odessa, nas margens do Mar Negro na Ucrânia.

video

É bom lembrar que quando a Alemanha Nazista ocupou a Ucrânia, os ucranianos começaram a colaborar com os nazistas e dizimaram dezenas de milhares de judeus, a tiros, pauladas, enforcamentos, até que os generais alemães deram a ordem de que os alimentos na Ucrânia deveriam servir aos soldados da Wermarcht, pois a eles estava faltando comida e que os ucranianos poderiam morrer de fome ou serem escravizados. Somente aí os ucranianos viram quem eram os verdadeiros inimigos, mas já era tarde e milhares de ucranianos foram também mortos pelos nazistas.


Na Rússia Czarista, ou seja, no Império Russo que teve seu fim em 1917, havia violentas manifestações contra os judeus que eram perseguidos e mortos por ressentimento econômicos, já que a miséria grassava em todo o Império, além, é óbvio, levados pelos preconceitos religiosos, que quase sempre foram a tônica para matanças e guerras.


Porém essa violência contra o povo judeu é tão antiga quanto o próprio povo judeu. Parte pela extrema violência desencadeada por Josué, um judeu, uma das figuras icônicas da Bíblia dita sagrada, que dizia agir em nome seu deus e quando tomava uma cidade inimiga matava a todos, homens, mulheres, crianças e animais domésticos. Daí nascia  o ódio aos judeus, rudes e selvagens e que teve seu ápice com a diáspora, ou seja, com a saída em massa de judeus das antigas terras de Israel, dominadas pelos árabes.

O que fica claro para quem estuda a dita bíblia sagrada é que o deus bíblico mandava os judeus matarem todas as crianças não judias pois eram sub-humanas, e seus patriarca obedeciam cegamente levando a morte centenas de milhares ou milhões de não judeus. 

E esse livro é a base moral para muito papa hóstia e aleluias do mundo.

             Progom cristão na Idade Média

Na Europa medieval todo o ódio cristão voltou-se contra os judeus que em toda a Europa Ocidental foram perseguidos principalmente quando o Papa Urbano II fez sua conclamação aos cristãos para libertarem da “dita” terra santa, que de santa não tem nada, pois é uma terra de ódio e violência. E ao longo da história tudo era motivo para matarem judeus que eram responsabilizados por fenômenos naturais como terremotos, enchentes e doenças.

             Genocídio causado pela Alemanha.

Os mesmos foram até responsabilizados pela Peste Negra, e centenas de milhares de judeus foram mortos de todas as formas, sendo espancados até a morte, queimados ou enterrados vivos. Um ódio incentivado pelo cristianismo que via o povo judeu como responsável pela morte de Cristo. E aí mora a grande hipocrisia e ignorância cristã, pois diz em seu perverso livro que deus o teria mandado a Terra para morrer. Então os judeus ou principalmente Judas foram instrumentos desta vontade absurda deste fictício deus, e muitos são os equivocados que defendem esses livro que verte sangue e maldades.


                Nem as crianças eram poupadas - Onde estava deus?

Porém com surpresa ainda hoje há muitos fascistas que negam as atrocidades cometidas contra os judeus pelos alemães, romenos, ucranianos, franceses e outros povos que se aliaram aos nazistas para matarem judeus e são hábeis em mentir, conquistando muitos ingênuos ou tresloucados para uma nova cruzada contra o povo judeu.


Há de se saber que muitos países dominados pela Alemanha Nazista lutaram contra a antiga União Soviética, há de se saber que não se fez justiça contra os assassinos alemães que eram cegamente seguidores de Adolf Hitler, há de se saber que o tribunal de Nuremberg não puniu todos os que mereciam, e milhares de assassinos alemães, franceses, italianos, holandeses e até mesmo Suíços não pagaram por seus crimes, lembrando que a neutralidade Suíça era pró Alemanha, portanto não era neutra.

                Japoneses espetando criancinhas chinesas. Puro sadismo.

             Soldado japonês treinando e matando chineses.

Por outro lado fala-se muito nos 6 milhões de judeus mortos pelos alemães, porém poucos falam ou sabem do genocídio levado a cabo pelos japoneses na China, onde mais de 20 milhões de chineses foram barbaramente trucidados, lembrando que por diversão os soldados japoneses pegavam criancinhas de colo chinesas e jogavam para o alto e as espetavam com baionetas, e tudo isto foi feito e esse fictício deus não movimentou uma palha para defender esses infelizes, nem também os homens que ao acabar a Guerra fizeram alguma coisa concreta e justa para punirem como deveriam ser punidos os assassinos japoneses.

            Milhões de criancinha chinesa mortas pelos japoneses.

          Milhões de mulheres chinesas assassinadas com seus filhos.

Há muitas coisas a serem revistas e hoje, passados mais de setenta anos desta insana guerra poucos restam para pagar por algum crime que cometeram, portanto resta-nos apenas apontar os fatos horripilantes, porém não se poderá mais punir ninguém por crimes tão hediondos, onde esse fictício deus, que domina a mente das pessoas, que se tornam fanáticas e atormentadas, deixou as coisas rolarem numa sangrenta selvageria como nunca se viu na história. 

            Por diversão japoneses mataram milhões de chineses.