PS

PS

SEGUIDORES

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Florisbello Garcia Barcellos


Florisbello Garcia Barcellos, natural de Capão do Leão, que foi homenageado tendo o seu nome em uma das ruas daquela cidade, editara através da “Typographia da Alvorada” de Pelotas no ano de 1929 esta pequena coleção de Sonetos e Variedades, com o título “Mambira na Cidade”, já vinha fazendo sucesso com  o livro “Orgulho Quebrado” editado no ano anterior, que em extraordinário sucesso, arrebatando os corações da moçoilas apaixonadas, teve em 1957 esgotada a sua 7ª Edição.

Em 1931 Florisbello lançou pela mesma Tipografia o livro “A Derrota do Cavanhaque” em alusão ao Presidente da República Washington Luiz de Souza, alcunhado de Cavanhaque. Tal livro, por ser pouco extenso foi acompanhado do desafio de dois Gaúchos Paulo Crespo e Chico Taura.

Minha saudosa mãe Maria Joaquina de Castro Teixeira, prima de Florisbello, assim como meu sempre lembrado pai Floribal Farias Teixeira, viviam recitando esses versos. Na verdade cresci ouvindo-os recitarem volta e meia, não só em casa como em reuniões familiares, onde meus avós e tios também sabiam de cor tais sonetos.


    
Mambira na Cidade inicia desta maneira: (as transcrições foram feitas respeitando a modo e grafia usada nos originais).

                                                            Adeus! adeus! Piratiny
                                                            Adeus! oh! Terra onde nasci,
                                                            Que de ti sou natural
                                                            E’s minha terra natal!
                                                            Embora em longa distancia
                                                            Tenho-te sempre em lembrança.

                                                           Adeus! adeus! Piratiny
                                                           Adeus! oh! terra onde nasci,
                                                           Que em tuas verdes campinas
                                                           Na choupana pequenina
                                                           De minha querida mãe
                                                           Recebi, a luz     divina!

                                                           Adeus! adeus! Piratiny
                                                           Terra saudosa onde nasci,
                                                           Embora de ti disperço,
                                                           Devo dizer neste verso
                                                           Te considero a melhor
                                                           Que ainda existe no universo

O autor, numa sequência poética de muito brilhantismo e graça, onde o hilário é para muitos a tônica deste livro de 25 páginas, pois “mambira” é o mesmo que “biguano”, “bacudo” ou “baiquara”, que em gauchês que dizer “homem do interior, do campo, de pouco conhecimento e cultura, encerra esse seu trabalho com o seguinte:


                                                            Sem vida já vou partir
                                                            A’s horas vem se chegando
                                                            Adeus! Adeus oh! Querida
                                                            Adeus! quem sabe até quando!

                                                           Ausente também se ama
                                                           Tambem, se tem amizade
                                                           Ao longe mesmo querida
                                                           Acceites minhas saudades
           
   
Em “A Derrotado Cavanhaque”, Florisbello Barcellos, como a maioria do povo rio-grandense colocou-se ao lado das Forças Revolucionárias Getulistas e inicia seu livro atacando o ex-presidente Washington Luiz:

                                                
                                                  MEUS CARISSIMOS LEITORES
                                                     APROVEITEM A OCCASIÃO
                                                    VAMOS TODO FESTEJAR
                                                    A DERROTA DO VAZANTÃO.
        
                                                              Washington Luiz de Souza
                                                              Alcunhado Cavanhaque
                                                              A nossa custa elle não bébê
                                                              Mais Champagne nem Conac.

                                                              Foi abaixo esse tyranno
                                                              E não volta mais para arriba
                                                              Pagou ao Rio Grande
                                                              O que fez com a Parahyba.

                                                              Gigantesco Rio Grande
                                                              Estado nobre e gentil.
                                                              Com um grito revoltoso
                                                              Libertou todo o Brasil.

Vazantão que se refere o autor vem de Vasinton Luiz, como muitos mambiras pronunciavam o nome do Presidente.

Em “O Orgulho Quebrado”, quando estava no prelo a 8ª edição, surgiu um livro de mesmo título e teor plagiado por Fred Jorje de São Paulo, cujo seu verdadeiro autor Florisbello Barcellos disse “tratar-se de grosseiro plágio, e em sentença posterior foi ao autor verdadeiro creditado e indenizado.
       

                                                                       I PARTE

                                                       O DINHEIRO FAZ O ORGULHO

                                                               Peço atenção ao leitor
                                                               Para a história que vou contar...
                                                               Pelas cenas que descrevo...
                                                               Deve a todos agradar.

                                                               Era uma vez Dom Ricardo
                                                              Afamado Fazendeiro
                                                              Tinha mil braças de campo
                                                              E cem contos em dinheiro.

Ao apenas transcrever estes pequenos trechos desses livros, vejo indelével em meu pensamento a figura alegre, bonita e traquinas de minha mãezinha, apelidada Quininha, recitando os “cem contos em dinheiro” acompanhada de meu pai de apelido Minoso em sua impecável farda do exército, sorrindo, deixando aparecer seus alvos dentes e seu negro bigode bem aparado, que eram suas marcas registradas.
    
Esclareço emocionado aos que visitem meu blog que a lembrança de meus pais sempre me motivaram a não deixar morrer essas obras que tanto gostavam, mas alia-se a isto o fato de ter visitado o blog  http://nlexpressao.blogspot.com/ , onde a caríssima senhora Noemi Laureano faz um relato apaixonado de sua mamãe de nome Maria, que, aos 85 anos, ainda tem em mente o trabalho de Florisbello “Orgulho Quebrado”, que foi um dos motivos para que eu viesse a dividir com todos esses trabalhos que espero não venham a desaparecer.

16 comentários:

  1. Bom dia Senhor!
    Muito interessante seu blog. Também sou adepta a preservação da cultura popular o que me fez buscar, a partir das histórias contadas por meu pai, conhecimento sobre a décima do Henrique Salcedo e então encontrei seu blog. Teria como eu conseguir uma cópia (eletrônica) completa do livro Orgulho Quebrado, para conhecê-lo? Se for possível ficar-lhe-ei imensamente agradecida.
    Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Professor, parabéns pela postagem. Poderia me mandar um e-mail? Luiz Teixeira: ltvisual@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Carissima Cecília. Fiquei honrado com tua visita e poderei te mandar pelo Sedex uma cópia de Orgulho Quebrada. Entre em contato com meu E-mail, será uma honra mandar-te uma cópia. Meu E-mail é - decastroteixeira@hotmail.com.

    ResponderExcluir
  4. Olá Luiz Teixeira, estarei agora mesmo te mandando um E-mail e fico mui feliz em receber tua visita em meu blog que sempre estará a tua disposição. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Meu pai encontrou um caderno de décimas que era de sua mãe, onde ela tinha copiado do livro orgulho quebrado, a História de Neli e Henrique Salsedo,isso a 65 anos atrás e que ela recitava para os filhos, quando éram pequenos, de cor e salteado, meu pai me mostrou o caderno de minha avó que é uma reliquia e eu que tenho 14 anos me apaixonei pela história, li ela toda, pena que esse caderno sofreu um pequeno dano perdeu-se a primeira folha onde estavam escritos os 9 primeiros verso, gostaria que se possível me mandasse esses 9 versos por e-mail, lucavilbertrepresentacoes@hotmail.com desde já agradeço.Stefani Vilbert

    ResponderExcluir
  6. Stefani, mandarei com muito prazer para teu E-mail o que me solicitas. Aguarde.
    Foi um grande prazer em tê-la visitando meu blog.
    Continue a fazê-lo
    Respeitoso abraço.

    ResponderExcluir
  7. Sr.Prof. Pedro A.C.Texeira.
    Meu nome é Camilo Sidnei dos Santos Barcelos. Sou filho de Florisbelo Garcia Barcelos. Fiquei muito feliz ao visitar seu blog.E nele encontrar todas essas obras registra pelo sr.Agradeço com carinho o seu carinho de estender para seus visitante tudo sobre a obra de meu pai. Meu E-mail camilobarcelos62@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Camilo!
    Fecho o dia com muita alegria e emoção. Uma emoção profunda que fez com que meu coração batesse mais forte ao encontrar teu comentário. Isto para mim foi um grande prêmio, pois cresci ouvindo mamãe e papai recitarem as obras de teu estimado pai Florisbelo Garcia Barcelos. Que alegria senti, e fiquei muitíssimo honrado com tua visita.
    Manterei contato. Aguarde.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. SR .PROF PEDRO.A.C.TEIXEIRA.
    MEU NOME É MARIA VITALINA ALVES BARCELOS .SOU NORA DE FLORISBELO GARCIA BARCELOS EU MEU CUNHADO CAMILO SIDNEI SANTOS BARCELOS FICAMOS MUITO FELIZES AO VISITAR SEU BLOG E NELE ENCONTRAR AS OBRAS DE MEU ETÉRNO SOGRO REJISTRADA PELO SR AGRADEÇO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO O SEU CARINHODE ESTENDER PARA SEUS VISITANTES TUDO SOBRE A OBRA DE MEU ETERNO SOGRO MEU MUITO OBRIGADO.MEU IMAIL MARIAVITABARCELOS@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  10. Caríssima Senhora Maria Vitalina.
    É para mim uma honra mui grande receber sua visita em meu blog, e um prêmio de valor incalculável poder dividir com todos um pouco de cultura e isto ser reconhecido. "OBRIGADO".
    Seu sogro, Florisbelo, que aprendi a gostar desde minha infância, foi sempre um ícone em nossas vidas, pois como viste meus pais viviam recitando seus poemas. Isto sempre me motivou a escrever. E gostaria de publicar em meu blog as obras completas deste maravilhoso escritor.E o farei. (Estou digitando esses livros).
    Com respeito e carinho estarei sempre à disposição de meus leitores. Muita saúde, paz e felicidade.

    ResponderExcluir
  11. Prezado Professor Pedro A. C. Teixeira,

    Tenho uma avó de 91 anos, que conhecia essa Décima "de cor" e apenas atualmente se esqueceu alguns versos (uma quantia razoável deles).

    O Senhor pode me enviar os versos? Gostaria de fazer uma surpresa para ela, uma vez que ela é apaixonada pela referida Décima.

    Meu e-mail é andy_masd@hotmail.com

    Atenciosamente,
    Andressa Marques

    ResponderExcluir
  12. Olá, caríssima Andressa, obrigado pela visita.

    Providenciarei o mais breve possível para te mandar esse trabalho de Florisbelo Garcia e levar uma surpresa para tua amada avó. Que a saúde e a harmonia reine entre neta e avó por muitos anos.

    Com respeito aceites um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  13. Sr.Prof>Pedro Teixeira
    Me chamo Silvia Elena sou uma da netas de Florisbelo Garcia Barcellos e me sinto muito orgulhosa da ver a obra de meu avô sendo lembrada com tanto carinho gostaria de manter contato meu email é silviapazbarcellos@hotmail.com

    obrigado por todas as recordações que me proporcionou vendo estas publicações

    ResponderExcluir
  14. Olá Silvia Elena.
    Muitíssimo obrigado pela tua visita que me deixa emocionado e com os olhos teimando em verter lágrimas de emoção ao tê-la em meu blogo e propiciar que eu faça sempre uma vigem no tempo e recordar o quanto meus pais eram fãs de teu avô e dele tanto falavam coisas bonitas e sinceras.
    Entrarei em contato pelo E-mail.
    Desde já saibas que fico honrado com tua visita.
    Respeitosamente e com carinho um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  15. Professor Pedro Teixeira,
    Parabéns por esta postagem. Com ela, aprendi um pouco mais sobre nosso escritor Leonense.
    Um forte abraço e tudo de bom.
    Arthur Victoria Silva

    ResponderExcluir
  16. Olá caríssimo Arthur. Victória Silva.
    Agradecendo a visita e o comentário quero informar ao prezado leitor que após ter recebido a autorização da família de Florisbelo Barcelos estarei publicando na íntegra os livros desse grande autor. Se ainda não o fiz é pelo motivo de estar aguardando a arte final para publicá-lo em primeiro lugar o "Orgulho Quebrado" espero fazê-lo ainda esta semana.
    Um fraterno abraço e mais coisa pretendo publicar sobre a nossa querida Capão do Leão, terra natal de minha saudosa mãe.
    Continue lendo e comentando, para mim é uma alegria e uma honra tê-los em meu blog.

    ResponderExcluir