PS

PS

SEGUIDORES

quinta-feira, 20 de julho de 2017

45º Festival Internacional de Folclore - I



Sexta-feira passada (viernes), antecipando-me, reservei acomodações no belo Hotel Rothenburg, em Nova Petrópolis, na Serra Gaúcha, para com Sandrinha, assistirmos parte do 45º Festival Internacional de Folclore, realizado na Rua Coberta, junto à Praça das Flores e simultaneamente outros grupos apresentavam-se no Parque Aldeia do Imigrante que teve seu início em 14 de julho e se estenderá até o dia 30 deste mesmo mês e para lá viajamos pela encantadora Rota Romântica na segunda-feira, 17 (lunes) pela manhã.


Nossa primeira parada foi em Dois Irmãos, aonde na Churrascaria Galpão almoçamos, e em pouco tempo já estávamos em nosso destino, Nova Petrópolis, acomodados e naquela mesma tarde fomos assistir tal evento cultural que se estendeu até a noite na Rua Coberta.



Belíssimo.

Entre várias apresentações que se estenderão até o próximo domingo, algumas assistimos, nestes quatro dias memoráveis. Pretendemos acompanhar o encerramento no próximo domingo, pois compromisso inadiável amanhã, nos fez voltar hoje, quinta-feira (jueves), para Canoas.

             Sandrinha pronta para enfrentar o frio.


             Y yo también.
Entre outras apresentações, começaremos pelo Balet Folklórico Pumas, de México, um espetáculo imperdível. Como as apresentações ocorrem em vários horários, começando às 10h, alguns grupos não podemos assistir, mas dos que assistimos e nos encantamos aqui deixo algumas fotos deste espetacular Balet Mexicano e na continuação exporei fotos de outros grupos de dança.


 





Lamentavelmente registro que o Grupo de Danças dos Índios Pataxós da Aldeia Coroa Vermelha da Bahia, dois de seus integrantes tiveram que ser hospitalizados devido à hipotermia, já que a temperatura despencou abaixo de zero, mas felizmente já estão recuperados.






Vamos então ao maravilhoso “Pumas”, de México, que no final da apresentação convidaram-me a saborear uma deliciosa Tequila, água ardente típica desse país, “tan lejo de dios e tan cerca de los EUA”.




 









 Clique ou prima sobre as fotos para ampliá-las.

4 comentários:

  1. Olá, Pedro, meu estimado amigo!

    A vida é feita de coisas bonitas, ou deveria ser. Parabéns pelo evento que escolheste assistir, embora o frio não tivesse dado tréguas a vocês, nem aos bailarinos índios, que tiveram de ser hospitalizados, devido às temperaturas abaixo de zero. Tiveste de voltar a Canoas por compromisso inadiável, antes do término do Festival Internacional de Folclore, mas compromisso é compromisso.

    As fotos estão mto lindas e cheias de cor e alegria. Vocês, bem trajados, contudo, ai, tanto frio, meus amores (rs)!

    Agradeço tuas palavras em meu blog, mas a vida é tão ingrata, por vezes. Leninha, médica de 32 anos, blogueira morreu na 2ª cirurgia, já sedada, com tumor no cérebro, mas pra não ver os amigos sofrerem disse a todos que o tumor era benigno.

    Beijos para ti, Sandrinha e meninos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Céu amada.
      A vida nos dá alegres e tristes momentos. Lamento muito que Leninha, apesar de não ter tido a oportunidade de conhecer, tenha nos deixado. Sei que é uma dor irreparável. Dor semelhante sentimos quando há dez anos perdemos também, pelo mesmo motivo, nossa amiga, amiga de Sandrinha desde menininhas, Heloisa Helena Cóccaro, engenheira, leal, mais do que uma amiga, que até os últimos momentos irradiava alegria e otimismo. São dores profundas e permanentes. C’est la vie.
      Quanto ao Festival Internacional de Folclore de Nova Petrópolis, ainda em andamento, e que pretendíamos ir neste domingo assistir o encerramento, resolvemos há pouco não ir, pois a temperatura continua caindo muito. Estou agora, mesmo bem agasalhado, sentindo um frio terrível, com os dedos congelados.
      Vários Corpos de Balé estão lá se apresentando. Da Ucrânia, Argentina, Polônia, Colômbia, Alemanha, Chile e outros. Terça-feira foi à vez de um dançarino argentino ser hospitalizado devido ao frio que despencou abruptamente. Felizmente já deu alta do hospital e está bem. Mesmo sendo a Argentina também muito fria “el gaucho missioneiro argentino” despencou após uma apresentação.
      Apesar desses incidentes foi um espetáculo memorável, postarei no decorrer mais alguns.
      Caríssima amiga, vamos em frente com coragem e amor. Sandrinha agradece e retribui o carinho a ela dispensado e eu sei que os meninos e Monica também retribuiriam com respeito e amizade profunda.
      Paz e harmonia. Um carinhoso beijo

      Excluir
  2. Oi, meu lindo Pedrito!

    Vim espreitar, mais uma vez, esse post, embora tivesse a certeza de k o tinha comentado, mas, poderia estar errada.

    Beijo e tudo de bom pra todos vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo amada Alentejana.
      Fico feliz em receber teus comentários.
      Um grane beijo e que tenhas um bom domingo.

      Excluir